Idioma:
Como o enxerto gengival pode melhorar a estética do sorriso
Como o enxerto gengival pode melhorar a estética do sorriso?

A odontologia estética se trata de um fenômeno um tanto recente que tem dominado as clínicas odontológicas e o imaginário popular. O enxerto gengival faz parte dessa tendência, sendo um material utilizado em tratamentos estéticos.

O enxerto gengival faz parte da cirurgia gengival, que pode ser utilizada para a construção de sorrisos mais harmônicos ou para a correção de falhas. Há vários tipos de enxerto gengival, que variam conforme o material utilizado como enxerto.

Então, como funciona o procedimento odontológico? Prossiga com a leitura do artigo e entenda mais da prática!

O que é e quais são os tipos de enxerto gengival?

“Por ser um dos procedimentos mais complexos da odontologia estética, a cirurgia gengival com enxerto gera dúvidas no consultório odontológico.”

O enxerto gengival se trata de um processo cirúrgico realizado com o objetivo de aumentar o volume de tecido mole na gengiva. Ele é indicado para casos onde o tecido gengival se encontra mal distribuído ou em falta na boca.

O problema mais comum que soluciona é a retração gengival, que é caracterizada pela diminuição da gengiva em relação aos dentes. Dessa forma, eles parecem ter um tamanho maior do que realmente tem.

Com isso, a raiz dentária pode ficar exposta, o que é um problema funcional e também estético. Por isso que o enxerto gengival é utilizado na remodelação do sorriso.

Como o enxerto gengival pode melhorar a estética do sorriso
 

Como funciona o enxerto gengival?

O enxerto gengival faz parte de um procedimento invasivo, o que exige uma maior preparação do paciente. É necessária a avaliação das estruturas bucais e a realização da profilaxia, raspagem do tártaro e remoção da cárie antes do enxerto.

Na cirurgia gengival em si, o dentista aplica a anestesia local para costurar um fragmento sobre a área retraída. Ao final, a aplicação deve ser semelhante à gengiva natural em cor, volume, formato e textura.

Quais são os principais tipos de enxerto gengival?

Tratando do fragmento costurado sobre a área retraída, há três tipos principais: o enxerto gengival sintético, o natural (ou enxerto autógeno) e o biossintético.

O enxerto autógeno é coletado do próprio paciente, podendo ser extraído do palato ou das regiões posteriores da maxila e mandíbula. Ele é o mais utilizado, pois é menor o risco de rejeição pelo corpo.

Já o enxerto gengival sintético é pré-fabricado em laboratório, sendo utilizado cerâmica, hidroxiapatita sintética ou polímeros. Em geral, o enxerto gengival sintético é menos indicado para casos complexos, mas apresenta tempo de cirurgia menor.

Por fim, o enxerto biossintético utiliza o tecido de outras espécies como fragmento, geralmente sendo de bovinos ou suínos. Por sua fabricação mais complexa, encarece o procedimento odontológico.

Como é a recuperação do enxerto gengival?

Mesmo a mais simples das cirurgias gengivais exige cuidados intensos no pós-operatório. Em geral, o paciente deve parar com as atividades físicas intensas por até 5 dias para evitar o deslocamento do tecido costurado.

Além disso, precisa iniciar uma dieta líquida, usar enxaguantes bucais e restringir um pouco mais os movimentos labiais. Após a primeira semana de recuperação do enxerto gengival, o edema e a vermelhidão (principais efeitos da cirurgia) já estão menores.

Há complicações? É possível sim, como o aumento da recessão gengival por necrose e infecção, que ocorre por erro profissional e descuido. Além disso, pode acontecer a perda do enxerto gengival pela rejeição do organismo ao tecido.

Por isso que é muito comum o uso de enxerto autógeno ou, ao menos, de tecido orgânico na cirurgia. Em geral, dão menos problema durante o período de recuperação do enxerto gengival.

Quais são as indicações do enxerto gengival?

As indicações do enxerto gengival são várias, seja por questões funcionais ou estéticas. As principais são:

  • Recuperação das gengivas retraídas em dentes naturais ou implantes dentários;
  • Tratamento de gengivas escurecidas;
  • Reconstrução estética de falhas;
  • Otimização estética em cirurgia plástica;
  • Prevenção da retração gengival.
Como o enxerto gengival pode melhorar a estética do sorriso
 

Como o enxerto gengival pode melhorar a estética do sorriso com a prótese dentária e o implante dentário?

A reconstrução da estética gengival pode ser realizada não só com o enxerto, mas também com as próteses dentárias fixas e os implantes dentários. A técnica combinada é utilizada para problemas como:

  • Aparecimento de gengivas escuras;
  • Falha de volume tecidual.

Em geral, é recomendada para casos com perda óssea acentuada, sendo utilizado também um enxerto ósseo para resultados mais duradouros.

O que se ganha com o enxerto gengival?

O enxerto apresenta um melhor prognóstico em relação às técnicas que não utilizam de enxerto gengival. Os resultados são mais duradouros e há menos complicações pós-operatórias, além de uma dor leve e fácil de controlar.

Mas a principal vantagem do enxerto gengival é a sua alta resolutividade estética. Ao ter esse procedimento na sua clínica, você garante que o paciente pode melhorar a estética do sorriso!

Baumer Dental é especialista em:

  • Biomateriais;
  • Enxerto Ósseo;
  • Regeneração Óssea;
  • Regeneração Tecidual.
2018 © Copyright BAUMER Dental | Todos os direitos reservados

Nós usamos cookies para oferecermos uma melhor experiência de navegação. Ao continuar a navegar em nosso site, você concorda com a utilização de cookies. Mais informações

Formulário de Inscrição* 

* O preenchimento desse formulário não garante 100% de sua inscrição. Entraremos em contato para finalizar a mesma.