Idioma:
Enxerto ósseo dentário
Enxerto ósseo dentário: Como funciona, tipos, riscos e recuperação

A perda dentária é um acontecimento que afeta o paciente funcionalmente e esteticamente. Para essas pessoas, é recomendado o implante dentário, mas muitas vezes elas não possuem estrutura óssea para isso. Aí entra o enxerto ósseo dentário.

A perda óssea dentária por desgaste é um processo comum entre as pessoas, principalmente quem perdeu os dentes há algum tempo. Essa perda acaba inviabilizando o uso de implantes dentários.

Contudo, com o uso de enxerto, é possível realizar esse e outros procedimentos. Mas quais são os tipos de enxerto ósseo dentário? Como é a recuperação do enxerto ósseo dentário? Saiba tudo agora!

O que é o enxerto ósseo dentário?

“O enxerto ósseo é um procedimento simples, que pode ser realizado no consultório odontológico e permite que o paciente receba implantes dentários.”

O enxerto ósseo se trata de um procedimento cirúrgico que retira um fragmento de osso de local adequado para colocá-lo em outro para reparo. É um procedimento utilizado para reconstrução de área que perdeu altura ou espessura.

No caso do enxerto ósseo dentário, é utilizado para reconstrução de área que sofreu perda óssea dentária. Por exemplo, retirar um fragmento da mandíbula do paciente para aplicar em região com perda óssea.

O que causa a perda óssea dentária?

  • Perda dentária, sem tratamento imediato após ocorrer. Isso leva à atrofia dentária;
  • Envelhecimento, que causa desgaste ósseo;
  • Osteoporose;
  • Doença periodontal, como gengivite, periodontite, etc.

 Como funciona o enxerto ósseo dentário?

O enxerto ósseo pode ser uma parte do corpo humano ou animal ou então feito com materiais sintéticos. Após o procedimento, ocorre o processo de adaptação, cujo tempo varia conforme a extensão recuperada e características do seu organismo.

O principal objetivo desse procedimento é a regeneração óssea, de forma que a região dentária tenha melhor sustentação para implante dentário. A ausência de espessura e/ou de condições ósseas costuma não permitir uma prótese aplicada com sucesso.

Quando é indicado o uso de enxerto ósseo?

Os enxertos ósseos são indicados para pacientes que vão colocar implante dentário, mas não possuem as condições necessárias na parte óssea para recebê-lo. No geral, é recomendado para a maioria, mas há contraindicações que requerem avaliação médica:

  • Presença de doenças periodontais, que devem ser tratadas antes do enxerto ósseo;
  • Certos casos de diabetes;
  • Fumantes;
  • Menores de 18 anos, pois a estrutura óssea pode ser reabilitada naturalmente.

Tirando esses casos, se você possui diagnóstico de perda óssea dentária, pode realizar o procedimento.

 Quais são os tipos de enxerto ósseo dentário existentes?

Como apontado anteriormente, não há apenas um tipo de enxerto ósseo. Há diferentes tipos, que são adequados para cada caso e deve ser definido o mais adequado pelo cirurgião dentista.

E quais são esses tipos de enxerto ósseo dentário?

Enxerto autógeno

O enxerto autógeno é aquele que é gerado pelo próprio paciente. Por exemplo, o uso de parte do osso da mandíbula para reconstruções ósseas menores ou então o uso de osso da bacia para reposições maiores.

Ele é o procedimento de enxerto ósseo ideal, pois por usar de seu próprio osso, é menor o risco de rejeição pelo organismo. Contudo, possui a desvantagem de ser necessária uma cirurgia para obter o osso que será usado no enxerto.

Enxerto xenógeno ou heterógeno

O enxerto xenógeno é aquele que é gerado por ossos de uma espécie diferente. Por exemplo, é o uso de ossos bovinos ou suínos para o procedimento de enxerto ósseo. Isso aumenta um pouco mais o risco de rejeição pelo organismo.

Contudo, certos ossos animais apresentam uma formação parecida com os nossos. É o caso dos ossos bovinos mineralizados, que possuem formação parecida com o osso medular humano. Nesse caso, pode ser mais facilmente incorporado ao tecido humano.

Enxerto alógeno ou homógeno

O enxerto alógeno é aquele que é obtido por meio de bancos de ossos humanos. Pode substituir o enxerto autógeno, mas apresenta uma taxa de rejeição maior.

Enxerto ósseo sintético

O enxerto ósseo sintético é produzido em laboratório, sendo feito com diferentes materiais: polímeros, cerâmica, hidroxiapatita sintética, etc. Ele é preparado com material biocompatível, o que diminui as chances de rejeição.

Enxerto misto

O enxerto misto é aquele obtido pela mistura de enxerto autógeno com outro tipo de enxerto. Sua indicação depende da área óssea que será reconstruída.

Como ocorre o procedimento do enxerto ósseo dentário?

Antes de tudo, é necessário que faça exames e passe pela avaliação do dentista, que poderá lhe dizer se esse procedimento é o mais recomendado. Alguns dos exames são radiografias específicas, tomografia, fotografia odontológica e risco cirúrgico.

Se for recomendado o procedimento, é feita a anestesia local para realização do enxerto ósseo dentário. Se for um caso mais complexo, é necessário ambiente hospitalar e anestesia geral.

Depois, é retirado o material do seu corpo (osso autógeno), de animais (osso xenógeno), de banco de ossos (osso alógeno) ou obtido sinteticamente. O procedimento pode ser realizado por fragmentos ou em bloco.

Por fim, ele é implantado na área a ser reconstruída.

Quais são os riscos do enxerto ósseo dentário?

Os riscos do enxerto ósseo dentário existem principalmente no caso dele ser contraindicado para sua pessoa. Para quem faz parte das contraindicações, pode apresentar perda óssea em torno do implante, infecções e fratura (mais raro).

Outros riscos do enxerto ósseo dentário, fora as contraindicações, são poucos ou nenhum.

Como é a recuperação do enxerto ósseo dentário?

Após passar pela cirurgia, a recuperação do enxerto ósseo dentário deve ocorrer com cuidado pelo paciente. Algumas medidas que devem ser tomadas são:

  • Repouso;
  • Uso de medicações prescritas pelo dentista;
  • Uso de compressas frias para evitar edemas;
  • Comer apenas alimentos frios e líquidos ou cremosos nos primeiros dias;
  • Higienização bucal redobrada
  • Não fazer bochechos;
  • Não se expor ao sol.

Após 4-6 meses, é avaliado se o procedimento foi um sucesso. Após 6-12 meses, ocorre a regeneração óssea total. Depois do sucesso com o enxerto ósseo dentário, você pode finalmente realizar o seu implante dentário!

2018 © Copyright BAUMER Dental | Todos os direitos reservados

Nós usamos cookies para oferecermos uma melhor experiência de navegação. Ao continuar a navegar em nosso site, você concorda com a utilização de cookies. Mais informações

Formulário de Inscrição* 

* O preenchimento desse formulário não garante 100% de sua inscrição. Entraremos em contato para finalizar a mesma.